• Vinícius Santos Pereira

O que é a Agricultura de Precisão

A Agricultura de Precisão (AP) é um método de gerenciamento agrícola que se apoia no conhecimento da lavoura através de informações quantitativas de solo, produtividade, aplicação de insumos, manejos e plantios realizados, dentre outras. O objetivo é conhecer a lavoura, com todas suas variabilidades de espaço e tempo, para realizar o manejo de solo, insumos e culturas de modo a contornar tais variações espaciais e temporais e atingir uma produção mais eficiente.

Figura 1: A Agricultura de Precisão não é definida por uma única técnica, mas sim por um sistema diferenciado de gestão e combinação de metodologias que envolvem desde a análise do solo, acompanhamento do cultivo e avaliação da colheita.

Esse método permite alcançar tais aumentos de eficiência de duas formas distintas, dependendo da estratégia adotada pelo agricultor. Uma abordagem é focar na redução de gastos com insumos e manter uma produtividade normal e a outra é buscar melhorias na produtividade sem aumentos significativos do investimento.


Sendo assim, a Agricultura de Precisão tem como principais benefícios reduzir o risco inerente ao investimento, pois permite que o produtor tenha maior conhecimento do que será investido e principalmente do retorno que será obtido, além do menor custo de produção, maior produtividade e menores danos aos meio ambiente, uma vez que reduz o excesso de insumos que não são aproveitados pelo cultivo e que permaneceriam no ambiente. Em resumo, a AP proporciona uma produção mais eficiente, homogênea e sustentável a longo prazo.

Figura 2: Exemplo genérico dos resultados obtidos utilizando métodos de aplicação de insumos com taxa variável (AP) ou taxa fixa (convencional). Pode-se observar uma produtividade mais homogênea utilizando AP, pois os insumos foram alocados em quantidades ideais em cada região da lavoura.

Histórico Mundial e Nacional


A Agricultura de Precisão teve suas primeiras aplicações na década de 1980, impulsionada pela mecanização agrícola na Europa e nos Estados Unidos, com os primeiros mapas de produtividade e aplicações a taxa variável. Porém foi apenas com a liberação do GPS (Sistema de Posicionamento Global) para uso civil em meados de 1990 que a prática passou a ser uma opção viável aos produtores. Outro fato impulsionador da AP foi a melhoria de precisão do GPS ocorrida em maio de 2000, isso dispensou a necessidade de investimentos em sistemas de correção e proporcionou o surgimento de receptores de navegação de baixo custo.


As primeiras pesquisas e aplicações de Agricultura de Precisão no Brasil foram executados na segunda metade da década de 1990 e logo após, nos anos 2000, houveram grandes expectativas de crescimento da atividade com a disponibilidade de colheitadeiras equipadas com GPS e sensores de produtividade (monitor de colheita). No entanto esse cenário não se concretizou, foi apenas a partir de 2005 que a AP teve crescimento expressivo juntamente com as empresas de consultoria e serviços. Uma pesquisa realizada pelo Kleffmann Group no ano de 2013 mostrou que cerca de 45% dos agricultores brasileiros utilizam alguma técnica de AP, com maior concentração na região Centro-Oeste do país, e as soluções mais comuns estão focadas na aplicação de fertilizantes e corretivos em taxa variável.

Sensoriamento Remoto e Drones

Juntamente com as técnicas de Agricultura de Precisão, surgiram as aplicações do Sensoriamento Remoto da Vegetação, que basicamente consistem em obter informações sobre as plantas e o solo através de leituras radiométricas com sensores ópticos. As imagens de satélite e leituras de sensores terrestres embarcados em tratores foram amplamente utilizadas para encontrar foco de problemas, medir biomassa, teores de clorofila ou até mesmo a produtividade potencial do cultivo.

Figura 3: Sistema GreenSeeker®, sensor proximal utilizado para obter valores de Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI).

Recentemente vem aumentando a popularidade de uma tecnologia que é capaz de levar a Agricultura de Precisão ao um novo patamar: a geração de diagnósticos e prescrições através de sensoriamento remoto com drones. Comparando o uso desta ferramenta com outras formas de sensoriamento remoto, percebe-se que existe um grande ganho de precisão, confiabilidade, resolução e redução de custos. Essa tecnologia permite a criação de soluções acionáveis e precisas, que oferecem retornos financeiros diretos já na primeira safra, além de ser um excelente complemento para os mapas de fertilidade criados através de amostragem de solo, possibilitando, por exemplo, a geração de prescrições com taxa variável para aplicação de nitrogênio, o nutriente utilizado em maior quantidade na agricultura, mas que não pode ser prescrito utilizando amostras de solo.

Figura 4: Exemplo de mapa de taxa variável de nitrogênio gerado com auxílio de imageamento aéreo com drone.

A Auster Tecnologia trabalha para ajudar no desenvolvimento e difusão da Agricultura de Precisão. Nossa equipe desenvolve diversas aplicações que ajudam a aumentar significativamente a rentabilidade das lavouras. Quer saber mais? Entre em contato conosco ou comente sua dúvida na área de comentários abaixo deste texto.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Categorias
Arquivo

Entre em contato

contato@austertec.com

+55 55-997316556

Ícone branco de localização no google

Av. Roraima, 1000 (UFSM) -Incubadora Pulsar, Casa nº 60v, Santa Maria, Rio Grande do Sul

Nos acompanhe:

  • Ícone branco do LinkedIn
  • Ícone branco do Facebook
  • Ícone branco do Instagram